#competição #comunidade #surf 
Gold Coast - Queensland - Austrália por HARDCORE

WSL confirma Caio Ibelli nas etapas da Austrália e da Indonésia

Com ausência de Adriano de Souza, lesionado, WSL confirma participação de Caio Ibelli nas etapas da Austrália e da Indonésia.

O brasileiro Caio Ibelli foi confirmado pela WSL nos primeiros quatro campeonatos do CT de 2019: Snapper Rocks, Bells Beach, Keramas e Margaret River.

A entidade já havia anunciado que Caio Ibelli seria o primeiro alternate do circuito após a polêmica decisão de conceder as vagas de wildcard por lesão de 2019 para John John Florence e Kelly Slater.

A participação de Caio nas etapas de abertura confirmou-se devido à ausência de Adriano de Souza. O campeão mundial de 2015 ainda estará se recuperando de uma difícil lesão no joelho sofrida durante a etapa de Portugal do circuito mundial de 2018, em Peniche.

O anúncio veio a público pelo próprio Caio.

“Fui confirmado para as primeiras 4 etapas do World Tour. Estou muito feliz pela oportunidade, os últimos meses não foram fáceis pra mim”, escreveu o local do Guarujá em sua conta no Instagram. “Muitas lutas e incertezas na minha vida competitiva, porém depois da tempestade vem a calmaria. Aqui está uma oportunidade para um novo começo”, completou.

O convite repara parcialmente um problema de difícil solução para a WSL. Caso não consiga resultados expressivos nestas primeiras quatro etapas, Caio certamente será pressionado pela opinião da mídia estrangeira. que de certa maneira achou justa a sequência inexplicável de convites a Mikey Wright em 2018 devido a algumas boas atuações do australiano.

O problema é que o justo seria que Caio tivesse a participação confirmada em todo o circuito, sem pressão por qualquer resultado imediato e tendo sua permanência na elite condicionada apenas à classificação entre os 22 primeiros do ranking no final do ano.

Caio fraturou o pé durante uma sessão de free surf em Margaret River. A fratura tirou o brasileiro de sete das oito etapas seguintes no circuito. Entretanto, a WSL optou por escolher John John Florence e Kelly Slater para as vagas tradicionalmente destinadas aos surfistas que se lesionaram e não conseguiram ficar entre os 22 classificados para o ano seguintes.

A controvérsia centrou-se em Slater, que surfou regularmente durante o ano passado, incluindo uma ondulação potencialmente assassina em Tavarua, Fiji, na mesma semana em que ausentou-se da etapa de Keramas por uma lesão no pé  sofrida um ano antes.

Comentários

Galerias | Mais Galerias