#competição #surf 
São Sebastião - São Paulo - Brasil por Fábio Maradei

Instituto Gabriel Medina terá 6 atletas no Brasileiro de Surf Feminino em Ubatuba

Com Sophia Medina como destaque, Instituto Gabriel Medina terá 6 atletas no Wiggolly Dantas apresenta Wizard Brasileiro de Surf Feminino, em Ubatuba.

Campeã sub12 e vice sub14 no ano passado e vindo de dois importantes títulos nesta temporada, Sophia Medina será um dos destaques do Instituto Gabriel Medina no Wiggolly Dantas apresenta Wizard Brasileiro de Surf Feminino. O evento começa nesta sexta-feira (23), em Ubatuba, e o time do IGM terá seis atletas, com orientação de dois técnicos e também de Charles Saldanha Rodrigues, treinador do próprio Gabriel Medina.

A equipe já está na Praia de Itamambuca, sede do campeonato exclusivo para a categoria feminina, e viajou com recursos da Lei de Incentivo ao Esporte (LIE), do Ministério do Esporte. Junto com o Sophia, as atenções estarão voltadas para Julia Duarte, outra atleta que vem numa ótima fase nesse ano. O grupo também terá Camilly Oliveira Lemes, Laura Agnes, Rafaella Teixeira e Laura Agnes, todas com expectativa de apresentarem evolução.

A expectativa fica para as boas chances de títulos de Sophia Medina e Júlia Duarte, que representaram o Brasil no ISA World Júnior Championship, nos EUA. Irmã caçula de Gabriel Medina, Sophia já garantiu esse ano os títulos do Rip Curl Grom Search e do Hang Loose Surf Attack, dois campeonatos referência no trabalho de base. Detalhe que as duas disputas têm limite de idade de 16 anos e a campeã está com 13.

Em Ubatuba, ela disputará a sua categoria, sub14, também a sub16 e a pro júnior, novidade este ano na competição, valendo o título brasileiro. “Será o meu último campeonato do ano e Itamambuca é um lugar que eu gosto. Adoro aquela onda, consigo surfar bem lá”, diz Sophia. “Vou dar mais prioridade para a sub14, que é esse ano é a minha categoria e que fui vice em 2017, mas vou dar meu melhor em todas. Tentar fazer pódio em todas. Esse ano foi muito bom para mim e quero terminar com chave de ouro”, ressalta.

Julia Duarte, que esse ano pode ser campeã brasileira amadora sub18, também demonstra confiança em boas atuações em Ubatuba, onde foi terceira na sub16 e quarta na sub18 em 2017. “Quero o título da sub16 e tem a pro júnior que vale o título brasileiro. Amo aquela direitinha de Itamambuca e sou boa de back side, então quero surfar bem”, fala. “Um campeonato só para as meninas é ótimo, porque com o mar bom, a prioridade é da gente, não dos meninos”, brinca a atleta, que também competirá na categoria profissional para ganhar experiência.

Além de Sophia e Júlia, o IGM terá Laura Agnes e Rafaella Teixeira na pro júnior. Rafa também atuará na profissional. Já Sophia Gonçalves competirá na sub12 e sub14 e Camilly Lemes na sub14 e sub16. “A expectativa é muito boa. Os destaques ficam para Sophia Medina e a Júlia Duarte. Atletas que chegam com reais condições de vencer em suas categorias”, diz o coordenador técnico do IGM, Alex Leco.

“As categorias acima servirão como experiência, mas se elas tiverem oportunidades e encontrarem as ondas, podem surpreender qualquer adversária. Treinaram bem. Nós teremos um acompanhamento próximo, para dar a melhor assistência possível às seis atletas, para que estejam concentradas e confiantes”, complementa Leco, lembrando que o time também está acompanhado da presidente do IGM, Simone Medina, para dar suporte às meninas durante todo o campeonato, assim como já faz há tantos anos com o filho Gabriel Medina, desde os tempos de disputas amadoras.

IGM - Criado do sonho de Gabriel Medina, o IGM iniciou as suas atividades em fevereiro do ano passado com toda a estrutura para jovens dos 9 aos 17 anos treinarem e se prepararem para o futuro como surfistas, usando o modelo do ídolo. Com recursos da Lei de Incentivo ao Esporte, do Ministério do Esporte, o projeto oferece gratuitamente o treinamento técnico e físico, retaguarda médica, fisioterápica, psicológica e odontológica, além de vários benefícios como aulas de idiomas, natação, apneia, equipamentos para a prática do surf, como pranchas e roupas de borracha, custeio de viagens para competição e alimentação.

Comentários

Galerias | Mais Galerias