#comunidade #picos #surf 
Austrália por Globo Esporte

Após ataques de tubarão Medina afirma: "Não me sinto seguro''

Líder do ranking mundial, Ítalo Ferreira também posta alerta para medidas de segurança: "Muito perigoso, não acham?". Drones da organização monitoram atividade.

Dois ataques de tubarão em menos de 24h assustaram os surfistas que disputam a terceira etapa do mundial de surfe em Margaret River, no oeste australiano. Após o término da terceira bateria da repescagem feminina, a World Surf League (WSL) paralisou a competição no oeste australiano. Horas depois, quando as autoridades locais asseguraram que não havia risco para os atletas, a competição foi reiniciada com a presença de drones monitorando as atividades.

Prancha de surfista atacado fica com a marca da mordida do tubarão (Foto: Reprodução)Prancha de surfista atacado fica com a marca da mordida do tubarão (Foto: Reprodução)

Nesta segunda, os brasileiros Gabriel Medina e Ítalo Ferreira usaram as redes sociais para cobrar medidas de segurança para os atletas.

- Hoje (segunda) tiveram dois ataques de tubarão numa praia próxima que estamos competindo. Eu não me sinto seguro treinando e competindo nesse tipo de lugar, qualquer hora pode acontecer alguma coisa com um de nós. Espero que não. Deixando minha opinião antes que seja tarde - disse Medina.

Líder do ranking mundial, Ítalo Ferreira também fez seu alerta.

- Dois ataques de tubarão em menos de 24h aqui na Austrália. Detalhe: apenas alguns quilômetros de onde está sendo realizado o evento. Muito perigoso, não acham? E, mesmo assim, continuam insistindo em fazer etapas onde o risco de ter esse tipo de acidente é 90%. Aí eu pergunto: a segurança dos atletas não é prioridade? Já tivemos vários alertas. Fica o questionamento: dinheiro e o entretenimento de uma “visita” inusitada de um tubarão valem mais que uma vida? Espero que isso não aconteça com nenhum de nós. Eu não me sinto confortável treinando e competindo em lugares assim!

- Surfe é um esporte diferente dos outros. A segurança do surfista e da equipe de funcionários são prioridades da WSL. Nossos protocolos de segurança serão intensificados. Os pensamentos estão com a vítima e sua família - postou.

Equipe de John John flagra dois tubarões

Durante treino próximo à área de competição, o bicampeão mundial John John esteve muito próximo ao perigo. Com auxílio de um drone para captação de imagens do atleta, a equipe flagrou dois tubarões nas imediações. As imagens são claras. Na web, a equipe de produção compartilhou dizendo que ainda há muito o que descobrir na imensa parte inexplorada do planeta.

De acordo com informações locais, o surfista percebeu a presença de alguma atividade, sem conseguir identificar que eram tubarões. Em seguida, o próprio John John assistiu às imagens com os dois tubarões próximos de onde treinava.

Dois ataques, e praias fechadas

O primeiro ataque ocorreu no pico conhecido como Cobblestones. A vítima foi o italiano Alejandro Travaglini, 37 anos, que mora em Margaret River. Ele sofreu ferimentos nas pernas e foi levado de helicóptero a um hospital em Perth, a 270km de distância. O fotógrafo Peter Jovic presenciou o ataque.

- Um tubarão apareceu e praticamente derrubou um surfista de sua prancha. Houve muita agitação. Depois disso, foi difícil ver o que estava acontecendo. Eu vi o cara que foi atacado ser separado da prancha de surfe e depois começar a remar para uma onda no inside, surfando de peito durante todo o percurso. Ele foi levado para a praia e começaram a trabalhar para conter o sangramento”, finalizou Peter - disse o fotógrafo.

Após o primeiro ataque, as praias na área de Gracetown foram fechadas, incluindo North Point (onde foi disputada a primeira e segunda fases do evento), Big Rock e Lefthanders.

Horas depois, um freesurfer dinamarquês Justin Longrass, de 41 anos, teve a perna mordida em Lefthanders, pico conhecido e bastante procurado pelos atletas. O tubarão ainda deixou uma marca impressionante na prancha de Longrass.

- Ele veio direto em minha direção e deu uma cravada na prancha - disse o dinamarquês ao site da ABC.

Ataque de tubarão próximo a Margaret River assusta os surfistas (Foto: Reprodução)Ataque de tubarão próximo a Margaret River assusta os surfistas (Foto: Reprodução)

O ministro da pesca, Roger Cook, disse que as autoridades tomaram todas as precauções possíveis.

ATENÇÃO! IMAGEM FORTE A SEGUIR.Ataque de tubarão próximo a Margaret River (Foto: Reprodução)Ataque de tubarão próximo a Margaret River (Foto: Reprodução)

- Após o primeiro incidente, as autoridades limparam as praias, ergueram cartazes de fechamento de praias, patrulharam a área em barcos e a pé para garantir a segurança de outros usuários da praia. A praia de Lefthanders foi fechada devido a uma carcaça de baleia e um tubarão sendo avistado na área. Sinais foram erguidos na praia, o helicóptero estava patrulhando a praia e alertas foram emitidos tanto no SharkSmart.com.au quanto no Twitter do Surf Life Saving WA - disse em entrevista ao site ABC.

Fonte:https://globoesporte.globo.com/radicais/surfe/mundial-de-surfe/noticia/apos-ataques-de-tubarao-em-menos-de-24h-medina-afirma-nao-me-sinto-seguro.ghtml

Comentários

Galerias | Mais Galerias