#competição #surf 
Jeffreys Bay - Cabo Oriental - África do Sul por João Carvalho / WSL

Três brasileiros estreiam com vitórias no J-Bay Open

O início do Corona Open J-Bay vinha sendo adiado desde quarta-feira e no sábado finalmente chegou um swell mais consistente com séries de 4-6 pés em Supertubes para dar a largada na etapa sul-africana do World Surf League Championship Tour.

O início do Corona Open J-Bay vinha sendo adiado desde quarta-feira e no sábado finalmente chegou um swell mais consistente com séries de 4-6 pés em Supertubes para dar a largada na etapa sul-africana do World Surf League Championship Tour. Entre os cinco surfistas que brigam fase a fase pela liderança do ranking, apenas os dois últimos campeões mundiais estrearam com vitórias, o atual John John Florence com o maior placar do dia – 19,37 pontos de 20 possíveis – e o brasileiro Adriano de Souza. Além de Mineirinho, mais dois brasileiros passaram direto para a terceira fase, Gabriel Medina com a maior nota do sábado – 9,93 – e o potiguar Italo Ferreira. Os outros seis perderam, mas terão outra chance de classificação nos duelos homem a homem da segunda fase, que vão abrir o domingo em Jeffreys Bay.

Adriano de Souza (Foto: Pierre Tostee – WSL)

“Estou feliz por ter avançado, foi por pouco, mas graças a Deus deu tudo certo para eu vencer a bateria”, disse Adriano de Souza, depois de superar o português Frederico Morais por um décimo de diferença, 13,83 a 13,73 pontos, com Jadson André ficando em último com 12,57. “As ondas estão excepcionais, mas cometi alguns erros lá fora, achando que iam entrar ondas melhores. Só que o tempo foi passando e comecei a ficar preocupado, mas ainda bem que o que eu fiz lá fora foi suficiente para avançar direto para a terceira fase”.

A vitória de Mineirinho aconteceu no terceiro confronto do dia, logo após um dos dois surfistas que dividem o terceiro lugar no ranking com ele, Owen Wright, ser surpreendido pelo veterano Bede Durbidge. Adriano de Souza saiu do mar classificado e ainda viu mais dois concorrentes diretos na acirrada disputa pelo título mundial, também serem derrotados nos confrontos seguintes. O líder do ranking, Matt Wilkinson, foi batido pelo francês Jeremy Flores. E o outro terceiro colocado, Jordy Smith, perdeu para o americano Conner Coffin. Os dois vitoriosos foram os primeiros a chegar na casa dos 17 pontos nas duas notas computadas.

MELHOR DO DIA – O terceiro foi o havaiano John John Florence, que surfou de forma incrível as longas direitas de Jeffreys Bay para ganhar três notas acima de nove e totalizar impressionantes 19,37 pontos de 20 possíveis. O pernambucano Ian Gouveia estreou nessa bateria e terminou em terceiro lugar, atrás ainda de um dos sul-africanos convidados para o Corona Open J-Bay, Dale Staples. Com as classificações de John John e Mineirinho, caso Matt Wilkinson perca na segunda fase, os dois já passam para a primeira e segunda posições no ranking, respectivamente.

Italo Ferreira (Foto: Kelly Cestari – WSL)

Na bateria seguinte, o potiguar Italo Ferreira conquistou a segunda vitória brasileira na primeira fase do Corona Open J-Bay. Ele não deu qualquer chance para os adversários desde a primeira onda que surfou em Supertubes, derrotando-os por uma grande vantagem de 15,27 pontos contra 11,24 do italiano Leonardo Fioravanti e 7,83 do norte-americano Kolohe Andino.

PARTICIPAÇÃO DUPLA – Depois, aconteceu a terceira participação dupla do Brasil no primeiro dia do CT da África do Sul. Na primeira, os paulistas Wiggolly Dantas e Miguel Pupo foram derrotados pelo australiano Joel Parkinson na bateria que abriu o Corona Open J-Bay. Na segunda, Adriano de Souza venceu e o potiguar Jadson André ficou em último.

E na terceira, Gabriel Medina fez a melhor apresentação da “seleção brasileira” nas direitas de Supertubes. Ele foi o único a superar um recorde de John John Florence, aumentando a maior nota do campeonato para 9,93 numa onda surfada de forma espetacular. Ele ainda destruiu outra para atingir o segundo maior placar do dia, 18,83 pontos, com o australiano Stuart Kennedy ficando em segundo lugar com 14,77 e Caio Ibelli em último com 9,27 apenas.

Gabriel Medina (Foto: Pierre Tostee – WSL)

Outro brasileiro que brilhou nas ondas de Jeffreys Bay foi o paulista Filipe Toledo, que está retornando ao CT na África do Sul, depois de ser suspenso da etapa de Fiji pelas atitudes antiesportivas com a sua eliminação no Oi Rio Pro em Saquarema (RJ). Com um surfe muito veloz, lincando suas manobras modernas e progressivas, ele ganhou a maior nota – 9,5 – na bateria que fechou o sábado. Mas, o taitiano levou a melhor nas duas ondas computadas, superando Filipinho por 16,67 a 15,17 pontos.

Felipe Toledo (Foto: Pierre Tostee – WSL)

SEGUNDA FASE – Com a derrota, seis brasileiros vão ter que encarar uma rodada extra na África do Sul. Felizmente, nenhum duelo 100% verde-amarelo foi formado nesta primeira rodada eliminatória e todos poderão aproveitar a segunda chance de classificação para a terceira fase. Mas, precisarão ganhar suas baterias, senão terminarão em último lugar, recebendo apenas 500 pontos e 10.000 dólares pelas participações no evento.

A repescagem será iniciada pelos líderes do ranking que perderam no sábado. O vice-campeão mundial Jordy Smith faz um duelo sul-africano com Dale Staples na abertura da segunda fase. Na segunda bateria, Matt Wilkinson com a lycra amarela do Jeep WSL Leader, enfrenta o outro convidado dessa etapa, Michael February. E Owen Wright entra na terceira com um novato que ainda não venceu nenhuma bateria no CT, o também australiano Ethan Ewing.

John John Florence (Foto: Pierre Tostee – WSL)

A participação brasileira na segunda fase começa na quarta bateria, com o potiguar Jadson André enfrentando o norte-americano Kolohe Andino. Na sexta, o paulista Miguel Pupo também precisando de um bom resultado para entrar no grupo dos 22 primeiros do ranking que são mantidos na elite dos top-34 da World Surf League, pega o australiano Connor O´Leary.

Depois, tem Filipe Toledo contra o norte-americano Kanoa Igarashi na oitava bateria, Caio Ibelli com o australiano Stuart Kennedy na nona e o também paulista Wiggolly Dantas na 11.a com o havaiano Ezekiel Lau. Já o pernambucano Ian Gouveia vai disputar a última vaga para a terceira fase num duelo luso-brasileiro com o português Frederico Morais.

O Corona Open J-Bay está sendo transmitido pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo da WSL e no Facebook Live através da página da World Surf League no Facebook, passando ao vivo também pela ESPN+ e globoesporte.com no Brasil, CBS Sports Network nos Estados Unidos, Fox Sports na Austrália, SKY NZ na Nova Zelândia, SFR Sports na França e em Portugal e EDGE Sports Network na China, Japão, Malásia e outros territórios asiáticos.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

PRIMEIRA FASE DO CORONA OPEN J-BAY NA ÁFRICA DO SUL:

01: 1-Joel Parkinson (AUS)=14.23, 2-Wiggolly Dantas (BRA)=13.60, 3-Miguel Pupo (BRA)=10.33

02: 1-Bede Durbidge (AUS)=13.84, 2-Owen Wright (AUS)=11.16, 3-Josh Kerr (AUS)=9.00

03: 1-Adriano de Souza (BRA)=13.83, 2-Frederico Morais (PRT)=13.73, 3-Jadson André (BRA)=12.57

04: 1-Jeremy Flores (FRA)=17.00, 2-Matt Wilkinson (AUS)=12.27, 3-Ethan Ewing (AUS)=9.93

05: 1-Conner Coffin (EUA)=17.04, 2-Jordy Smith (AFR)=14.76, 3-Michael February (AFR)=12.40

06: 1-John John Florence (HAV)=19.37, 2-Dale Staples (AFR)=16.03, 3-Ian Gouveia (BRA)=13.07

07: 1-Italo Ferreira (BRA)=15.27, 2-Leonardo Fioravanti (ITA)=11.24, 3-Kolohe Andino (EUA)=7.83

08: 1-Kelly Slater (EUA)=16.27, 2-Julian Wilson (AUS)=15.83, 3-Kanoa Igarashi (EUA)=8.77

09: 1-Jack Freestone (AUS)=16.00, 2-Adrian Buchan (AUS)=13.66, 3-Connor O´Leary (AUS)=11.00

10: 1-Gabriel Medina (BRA)=18.83, 2-Stuart Kennedy (AUS)=14.77, 3-Caio Ibelli (BRA)=9.17

11: 1-Mick Fanning (AUS)=17.23, 2-Sebastian Zietz (HAV)=9.83, 3-Joan Duru (FRA)=6.17

12: 1-Michel Bourez (TAH)=16.67, 2-Filipe Toledo (BRA)=15.17, 3-Ezekiel Lau (HAV)=10.60

SEGUNDA FASE – Vitória=Terceira Fase e Derrota=25.o lugar com 500 pontos e US$ 10.000:

1.a: Jordy Smith (AFR) x Dale Staples (AFR)

2.a: Matt Wilkinson (AUS) x Michael February (AFR)

3.a: Owen Wright (AUS) x Ethan Ewing (AUS)

4.a: Kolohe Andino (EUA) x Jadson André (BRA)

5.a: Julian Wilson (AUS) x Josh Kerr (AUS)

6.a: Connor O´Leary (AUS) x Miguel Pupo (BRA)

7.a: Sebastian Zietz (HAV) x Leonardo Fioravanti (ITA)

8.a: Filipe Toledo (BRA) x Kanoa Igarashi (EUA)

9.a: Caio Ibelli (BRA) x Stuart Kennedy (AUS)

10: Adrian Buchan (AUS) x Joan Duru (FRA)

11: Wiggolly Dantas (BRA) x Ezekiel Lau (HAV)

12: Frederico Morais (PRT) x Ian Gouveia (BRA)

TOP-22 DO JEEP WSL LEADERBOARD – após a 5.a etapa em Fiji:

1.o: Matt Wilkinson (AUS) – 26.750 pontos

2.o: John John Florence (HAV) – 26.500

3.o: Adriano de Souza (BRA) – 26.150

3.o: Jordy Smith (AFR) – 26.150

3.o: Owen Wright (AUS) – 26.150

6.o: Joel Parkinson (AUS) – 22.650

7.o: Connor O´Leary (AUS) – 18.450

8.o: Julian Wilson (AUS) – 16.700

9.o: Kolohe Andino (EUA) – 16.000

10: Sebastian Zietz (HAV) – 15.500

11: Gabriel Medina (BRA) – 14.500

12: Michel Bourez (TAH) – 14.450

13: Mick Fanning (AUS) – 14.400

14: Filipe Toledo (BRA) – 13.950

15: Caio Ibelli (BRA) – 13.750

16: Adrian Buchan (AUS) – 12.500

17: Jeremy Flores (FRA) – 11.000

18: Kelly Slater (EUA) – 10.950

18: Bede Durbidge (AUS) – 10.950

18: Frederico Morais (PRT) – 10.950

21: Wiggolly Dantas (BRA) – 10.750

22: Italo Ferreira (BRA) – 10.700

Outros brasileiros:

23: Ian Gouveia (BRA) – 9.750 pontos

31: Yago Dora (BRA) – 7.000

32: Miguel Pupo (BRA) – 6.250

34: Jadson André (BRA) – 5.000

37: Jessé Mendes (BRA) – 2.250

40: Bino Lopes (BRA) – 1.000

41: Samuel Pupo (BRA) – 500

Fonte:http://wslsouthamerica.com/tres-brasileiros-estreiam-com-vitorias-no-j-bay-open/

Comentários

Galerias | Mais Galerias