#tecnologia #meio ambiente 
Austrália Ocidental - Austrália

Cientistas Confirmam Eficácia de Protetor Contra Tubarão

Shark Shield

Uma pesquisa revisada independente, publicada na revista científica internacional PLoS ONE confirmou o Shark Shield como um impedimento de tubarão eficaz.

A pesquisa foi conduzida durante um período de dois anos e meio, a um custo de AUS$ 680.000, financiada pela Governo do Estado do Oeste da Austrália, como parte de seu investimento na Mitigação de Risco de Ataques de Tubarão, na sequência de uma série de ataques de tubarão em 2012.

A pesquisa foi conduzida pelo professor Shaun Collin, Assoc. Prof Nathan Hart, e Dr. Ryan Kempster da Universidade do Instituto de Oceanos da Austrália Ocidental e da Escola da Biologia Animal. A equipe também completou ensaios laboratoriais e de campo sobre outros dispositivos dissuasores elétricos de tubarão, além de explorar e testar novas formas de dissuadir tubarões, incluindo sons subaquáticos, luzes intermitentes e bolhas brilhantes.

Collin declarou: "Durante os testes, o Shark Shield manteve com sucesso os tubarões brancos à distância em nove de cada dez vezes. Esperamos que esta pesquisa irá, finalmente, levar ao desenvolvimento de novas tecnologias à base de eletricidade de dissuasão de tubarão no futuro. "Um especialista de renome mundial em seu campo, Collin é autor de vários artigos científicos na área, incluindo 'Eletrorrecepção em vertebrados e invertebrados", publicado na Encyclopedia of Animal Behaviour, Oxford Academic Press (2010).

Lindsay Lyon, Diretora de Gerenciamento da Shark Shield declarou: "Este é o terceiro trabalho de pesquisa científica independente provando que o Shark Shield é o único dispositivo que efetivamente matém os tubarões à distância. Este trabalho revisado independentemente mostra que os participantes de esporte de aventura podem remover até 90% do risco em atividades como mergulho, caça submarina, canoagem e surf. Isso remove todas as dúvidas sobre a eficácia da tecnologia comprovada do protetor de tubarão".

A empresa anunciou recentemente uma iniciativa de angariação de capital de AUS $ 400 mil para apoiar a instalação da fabricação final e inventário para o seu novo dissuasor de tubarão FREEDOM+Surf para pranchas de surf, desenvolvido conjuntamente com a Ocean & Earth e o 2x campeão mundial de surf Tom Carroll.

Em 2012, o Dr. Charlie Huveneers do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Austrália do Sul (SARDI) e da Universidade de Flinders testou a eficácia do Shark Shield. Parte deste teste científico independente utilizou um chamariz no formato de foca ao largo da costa da África do Sul, quando os tubarões brancos visivelmente diminuíram as taxas de ataque de tubarão com nenhuma aparição na superfície observada com o dispositivo Shark Shield ligado.

O Dr. Vic Peddemors, um cientista de renome especializado em tubarões, que tem trabalhado com tubarões desde 1987, esteve envolvido em testes estatísticos na eficácia do protetor de tubarão em 2003, também na África do Sul relativo aos tubarões brancos. Durante este teste mostrou-se que usando um Shark Shield a probabilidade de um ataque foi reduzida entre 70% a 8% sem que os tubarões pegassem a isca durante o teste.

A Choice Magazine, uma organização de pesquisa de consumidor australiana, líder independente, publicou a sua própria avaliação dos testes de dissuasão de tubarão em janeiro de 2016, confirmando o Shark Shield como o único impedimento com provas científicas da sua eficácia.

"Os cintos de segurança comprovadamente salvam vidas, reduzindo o risco, sem dúvida os produtos da Shark Shield foram provados reduzir o risco, então apertem os cintos e usem um em sua próxima aventura", acrescentou Lyon.

Abstract:

How Close is too Close? The Effect of a Non-lethal Electric Shark Deterrent on White Shark

Behaviour

(Quão perto é muito perto? O efeito de um dissuasor de tubarão elétrico não-letal sobre o comportamento do tubarão branco).

Kempster RM, Egeberg CA, Hart NS, Ryan L, Chapuis L, Kerr CC, Schmidt C, Huveneers C, Gennari E, Yopak KE, Meeuwig JJ, e Collin SP.

Os tubarões têm um papel vital na saúde dos ecossistemas marinhos, mas a ameaça potencial que os tubarões representam para os seres humanos é um lembrete de nossa vulnerabilidade ao entrar no mar. Os impedimentos pessoais de tubarão estão sendo comercializados como a solução para atenuar a ameaça que os tubarões representam. No entanto, as reivindicações da eficácia de muitos impedimentos pessoais são baseados no nosso conhecimento da biologia sensorial do tubarão, ao invés de testes robustos dos próprios dispositivos, como a maioria não foi submetida a estudos científicos independentes. Por conseguinte, há uma clara necessidade de testes completos de meios de dissuasão de tubarão disponíveis no mercado para fornecer ao público recomendações da sua eficácia. Usando um sistema de câmeras duplas modificado, quantificamos as interações comportamentais entre os tubarões brancos (Carcharodon carcharias) e um alvo isca na presença de, um impedimento de tubarão elétrico pessoal comercialmente disponível (Shark Shield Freedom7TM). O sistema de câmeras permitiu uma avaliação precisa do comportamento das respostas do C. carcharias quando encontrou um campo elétrico não-letal muitas vezes mais forte do que o que ele naturalmente experimentaria. Após o seu primeiro encontro observado, todos os C. carcharias foram repelidos em uma média (± desvio padrão) de proximidade de 131 (± 10,3) cm, o que correspondeu a um gradiente de voltagem médio de 9,7 (± 0,9) V/m. Com cada encontro subsequente, a sua proximidade diminuiu em média de 11,6 cm, o que correspondeu a um aumento de tolerância ao campo elétrico por uma média de 2,6 (± 0,5) V/m por encontro. apesar do aumento da tolerância, os tubarões continuaram a ser impedidos de interagir ao longo da duração de cada teste, quando na presença de um Shark Shield ativo. Além disso, os resultados não fornecem apoio à teoria de que os impedimentos elétricos atraiam tubarões. Os resultados deste estudo fornecem dados quantitativos sobre a eficácia de um impedimento de tubarão elétrico não letal, a sua influência sobre o comportamento de C. carcharias, e um método preciso de testar outras tecnologias dissuasoras de tubarão.

Fonte: Shark Shield

Comentários

Galerias | Mais Galerias